Alunos criam perfil falso de Colégio Estadual para ameaçar professores e colegas

Alunos criam perfil falso de Colégio Estadual para ameaçar professores e colegas

Diretores do Colégio Estadual Eduardo Virmond Suplicy, em Francisco Beltrão, no oeste do Paraná, procuraram a Polícia Civil após alguns alunos criarem um perfl falso em nome da escola, em uma rede social, e exporem negativamente professores e colegas. A situação ficou pior depois de uma das postagens mostrar munições e a palavra “massacre”, o que levou a direção a cancelar as aulas presenciais e manter os alunos em casa, tendo apenas aulas online, desde ontem, quinta-feira (25).

O caso começou a ser acompanhado pelas autoridades no dia 17 de novembro. Mas foi apenas na quarta-feira, 24, que o registro se tornou público. De acordo com a Polícia Civil e com o diretor auxiliar da escola, Jeferson Stocco, os perfis falsos apresentam diversas publicações com conotação violenta, além de expor de forma muito negativa alunos, professores e funcionários. Sem contar a exposição de dados confidenciais de professores e ameaças a outros adolescentes. Com isto, o delegaco Bruno Trento Hein e outros órgãos de segurança e educação foram acionados para investigar e avaliar a situação.

O caso ganhou um novo desdobramento quando, na quarta-feira, o perfil realizou post com injúrias a um professor da instituição. Além disso, no mesmo dia, um aluno teria ateado fogo em uma carteira e, depois, teria ele mesmo apagado o incêndio. Com isso, os estudantes envolvidos, tanto em criar as chamas e em filmar a ação, foram encaminhados à delegacia para prestarem esclarecimentos.

Na manhã desta quinta-feira (25), quando a notícia se espalhou, houve uma movimentação muito grande de pais voltando na escola para pegarem os filhos antes do término da aula, além da presença da polícia no local. Não bastasse isso, o perfil falso postou uma imagem de munição, com a palavra “massacre” e uma passagem bíblica. Isso assustou todos e obrigou a direção a cancelar as aulas presenciais por tempo indeterminado. Os alunos estão tendo aulas pelo sistema online.

E apesar de toda a investigação que já está ocorrendo e para surpresa de todos, disse Jeferson, o perfil continuava ativo na tarde desta quinta-feira (25), com postagens ofensivas.

(RicMais)

Comentários
Compartilhe!