Historeando: O enigma de 80 anos solucionado graças a ‘O PEQUENO STUART LITTLE’

Historeando: O enigma de 80 anos solucionado graças a ‘O PEQUENO STUART LITTLE’

O filme “O Pequeno StuartLittle”, que foi lançado nos Estados Unidos em 1999, mas chegou ao Brasil um ano mais tarde, se tornou um clássico infantil ao mostrar a história de um rato que é adotado por uma bondosa família.

Stuart, um pequeno roedor, é levado para casa dos Little em vez de uma criança, em uma metáfora criativa para a aceitação das diferenças. Na sinopse do longa, lemos que, com a adoção, o filho deles, George, “descobre que existem irmãos de todos os tipos”.

Além de ter se tornado uma produção memorável, contando com nomes como Hugh Laurie e Geena Davis, “O Pequeno StuartLittle” também ajudou em um caso de polícia que estava em aberto há mais de 80 anos.

Sem querer, uma cena mostrada no filme infantil acabou por solucionar o mistério envolvendo um quadro raro.

Um quadro húngaro

O historiador de arte Gergely Barki, pesquisador da galeria nacional da Hungria, em Budapeste, percebeu um detalhe enquanto assistia ao filme com sua filha Lola em 2009, dez anos após o lançamento do filme.

Cena que chamou a atenção do historiador no filme “O Pequeno Stuart Little” (1999) / Crédito: Divulgação/Columbia Pictures

Ele notou que o quadro na parede, usado de acessório ao cenário, era muito parecido com uma obra perdida há décadas, intitulada “Woman With a Black Vase” (‘Mulher com um Vaso Preto’, em tradução livre’), do artista húngaro Róbert Berény.

“Não pude acreditar no que vi quando vi a obra-prima há muito perdida de Bereny na parede atrás de Hugh Laurie. Quase derrubei Lola do meu colo”, relatou Barki em entrevista ao jornal britânico The Guardian em 2014.

“Um pesquisador nunca tira os olhos do trabalho, mesmo quando assiste a filmes de Natal em casa”, acrescentou.

A pintura que chamou a atenção do especialista aparece na cena em que a família Little se reúne para tirar uma fotografia, enquanto usam vestes formais.

Depois de perceber o que havia descoberto, Barki tentou entrar em contato com a equipe dos produtores do filme, que incluíam a Sony Pictures e Columbia Pictures. No entanto, ele só recebeu uma resposta dois anos depois.

Uma ex-cenógrafa do longa-metragem explicou melhor a situação, após o pesquisador ter enviado uma enxurrada de e-mails às produtoras para entender o caso.

“Ela [ex-cenógrafa] disse que a pintura estava pendurada em sua parede”, explicou. “Ela o comprou por quase nada em uma loja de antiguidades em Pasadena, Califórnia, pensando que sua elegância de vanguarda era perfeita para a sala de estar de ‘Stuart Little’.”

O quadro, que foi pintado por Róbert Berény, líder de um movimento de vanguarda que data de antes da Primeira Guerra, foi comprado por US$ 500, pouco menos de R$ 3 mil, segundo a cotação atual.

Como é possível prever, a profissional não fazia ideia de que aquela era uma obra raríssima que estava, até então, perdida. “Woman With a Black Vase” foi, então, vendida a um colecionador após a identificação do quadro.

Após o colecionador obter a pintura, ele decidiu devolver o quadro para sua cidade natal, Budapeste, onde ela foi vendida novamente em leilão em 2014. O valor pelo qual ela foi arrematada foi de US$ 87 mil, o equivalente a R$ 494 mil.

Comentários
Compartilhe!

Entrar

Cadastrar

Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.